2016 foi assim…

As aulas de Yôga para crianças não poderiam ter corrido melhor em 2016.
Mais crianças felizes a praticar na Casa no Yôga, a aprender a respirar melhor, a relaxar, a alongar o corpo, a tonarem-se fortes e flexíveis, mas principalmente a divertirem-se enquanto desenvolvem  força de vontade, motivação e autoestima que levarão para toda a vida. É tão bom ver a evolução e o crescimento de cada uma desde a primeira aula.
As aulas para famílias foram  recheadas de carinho entre pais e filhos. Nas férias de Verão,  as crianças da Associação Famílias das Enguardas tiveram um primeiro contacto com Yôga, e os participantes nas férias escolares da Associação de Pais do Centro Escolar do Vale de Lamaçães adoraram praticar ao ar livre. Em  Outubro, foi o momento dos alunos do Patronato Nossa Senhora da Torre experimentarem o Yôga, no Museu dos Biscainho.

Para 2017 planeamos mais aulas abertas, mais aulas para famílias e abrimos novas vagas para a turma de sábado às 10h, na  Casa do Yôga.

Para mais informações ou marcação de aula experimental:
Casa do Yôga
Rua Bernardo Sequeira, 157, S. Vítor, Braga
938 321 482 / 911 159 113
escola@yogabraga.com

Anúncios

Respirar é viver

(retirado do Blog da Casa do Yôga)

Outro dia assisti uma entrevista com o ator Johnny Deep e entre uma pergunta e outra lhe foi perguntado qual era um dos maiores prazeres que tinha na vida e para minha surpresa e provavelmente da grande maioria, ele respondeu: respirar!

De fato, respirar é, ou pelo menos deveria ser um dos grandes prazeres de nossa existência.
Mas o que grande parte da humanidade faz? Aperta o botão do respirador automático e seja o que Shiva quiser!

Diariamente somos bombardeados por informações e propagandas que apelam de forma tão impiedosa à nossa visão e ao nosso paladar que acabamos dando extrema atenção a eles, sobrecarregando-os em detrimento de outros como a respiração; nos alimentamos em demasia e de forma errada e mesmo assim não paramos de dar atenção ao paladar.

E a respiração, que também é alimento? Por que não damos atenção a ela? Poderíamos passar dias sem comer e beber, porém poucos minutos sem respirar.

Talvez o olfato seja o sentido que mais receba nosso desprezo. Percebendo este pormenor, os Mestres da antiguidade incluíram na prática do Yôga o uso do incenso, que dentre outras coisas, faz com que prestemos mais atenção à respiração, pois respiração yôgi é intrinsicamente ligada à participação da consciência.

Além de viver e sonhar, há algo mais importante: despertar.
Antônio Machado

Para melhorar isso, comece dando atenção em como se senta, seja diante de sua mesa de trabalho, nas poltronas dos aviões ou nas cadeiras dos restaurantes. Sim, eu sei que grande parte dos assentos são mal projetados mas faça o melhor que puder com aquilo que tiver em mãos.

Ao se posicionar fisicamente de forma errada, além de toda uma gama de problemas que talvez só venham a se manifestar anos depois, você pode principalmente prejudicar o trabalho do diafragma, músculo fundamental no processo respiratório.

Uma respiração deficiente, praticada por 90% da população mundial (impressionante o número de pessoas que vêm nos procurar e que não possuem a mínima noção de como se deva respirar), tem resultados muitas vezes catastróficos que vão desde uma má oclusão dentária, passando por distúrbios no ciclo menstrual, até à qualidade do sono e da digestão.

Um exemplo é a falta de oxigenação ideal do sangue que pode comprometer a clareza mental. Cérebro não oxigenado apropriadamente torna turva a mente, imergindo-a em uma barafunda de dispersões, fazendo com que o seu dono perca o foco e a concentração.

Saúde não é tudo, mas tudo não é nada sem a saúde.
Schopenhauer

562909_431163840269106_2046758187_n

Porque será que quando uma pessoa está descontrolada, costuma-se dizer a ela para respirar?

Ensinamos a muita gente técnicas específicas de respiração que auxiliam no controle de seu campo de emoções, fazem a ligação do inconsciente com o consciente além de melhorar o funcionamento geral do organismo, amenizando eventuais desconfortos provenientes do sedentarismo que se aloja por entre grande parte dos seres humanos.

O próprio ato de respirar de forma abdominal promove um sutil massageamento de seu principal músculo, o coração, além de ativar o metabolismo e purificar o sangue.

Estou certo de que enquanto lê esse artigo, está respirando pelas narinas, não é?

Fique atento a não inspirar pela boca, principalmente se já se acostumou com isso. Nariz não foi feito para apoiar os óculos e sim para filtrar, aquecer e umedecer o ar. A ideia é que você “mastigue” o ar.

A vida só é plena quando nos tornamos conscientes de tudo que está submerso no inconsciente.
Carl Gustav Jung

Respire antes de tomar qualquer decisão. Mas não de qualquer forma. Respire bem, profundo, sem pressa e extremamente consciente da limpeza que se processa em seu organismo em todos os níveis. Isso lhe trará valiosa percepção da situação a ser revelada. Aliás, respire dessa forma sempre: ao se alimentar, praticar esportes, descansar, ler etc. Esse detalhe aumentará seu prazer e bem-estar em cada momento de sua existência.

Pode parecer bobagem, porém, suas roupas podem também atrapalhar o trabalho de oxigenação de sua estrutura física. Ternos e calças muito apertadas prejudicam o bom funcionamento de sua “máquina”.

Quando possível, troque a qualidade do ar que respira. Vá às montanhas ou praia.
Não sei o que é pior: “beber” o ar das grandes metrópoles ou estar tão acostumado a isso que não se percebe mais que existe diferença na qualidade do ar de um lugar para outro.

E por fim, percebamos como nosso ritmo respiratório está intimamente ligado às nossas emoções e as turbulências de nossa mente (note o estado de sua respiração enquanto se concentra na leitura deste texto). Da mesma forma que o seu estado emocional e/ou mental influencia na sua respiração, o caminho inverso também é verdadeiro.

Portanto faça da sua respiração a sua aliada, cuide dela com carinho, faça dela um de seus grandes prazeres, pois respirar é vida que se transforma em arte nas mãos alquímicas de quem o sabe fazê-lo.

E lembre-se do velho ditado: “O que contam, não são os momentos nos quais você respira e sim aqueles que lhe tiram o fôlego”.

Professor Fábio Euksuzian

Respiração

Entrevista sobre respiração

(extraída do Blog do DeRose)

1 – Qual é a importância do processo de entrada e saída de ar do nosso corpo?

Nós podemos permanecer algumas semanas sem comida, alguns dias sem água, mas só alguns segundos sem ar. Alguns resistem 120 segundos (dois minutos) outros um pouco mais, mas esse pequeno lapso sem bombear oxigênio para dentro do nosso corpo nos mostra o quanto o ar é vital para o nosso organismo. Engana-se quem pensa que o processo respiratório ocorre apenas pelas chamadas “vias respiratórias “. A respiração se processa em grande parte pela pele, motivo pelo qual se cobrirmos toda a pele com uma tintura impermeável, o indivíduo pode morrer. Também precisamos levar em consideração a necessidade de eliminação do gás carbônico e resíduos que são eliminados na expiração.

2 – É verdade que quando somos bebês respiramos perfeitamente e, com o passar do tempo e os problemas do dia-a-dia, passamos a respirar errado?

Quando nascemos, respiramos por instinto como os outros animais, uma respiração plena, utilizando a capacidade total dos pulmões. Com o passar do tempo nossa respiração passa a ser comprometida pela educação, os cintos, soutiens, roupas apertadas, má postura bípede e – acima de tudo – uma cultura equivocada de que, para efetuar uma boa inspiração, é preciso pôr a barriga para dentro (“Barriga para dentro, peito para fora”). Ora, ao retrair e comprimir o abdomen impedimos que o diafragma baixe, liberando mais espaço na base dos pulmões, justamente onde esses órgãos têm a maior capacidade. Mais tarde, as pessoas acabam contratando um instrutor que as ensine a respirar corretamente, outra vez.

3 – Quais os problemas que isso pode provocar?

Uma boa respiração contribui para a perfeita oxigenação do sangue e consequentemente das células de todo o corpo, inclusive do próprio cérebro, o órgão que mais consome oxigênio em todo o organismo. Os problemas decorrentes da má respiração, sem dúvida, são o agravamento de enfermidades respiratórias ou seu surgimento naqueles que ainda não apresentavam um histórico dessas enfermidades. Até a pele e o cabelo sofrem alterações para melhor ou para pior, dependendo da qualidade da respiração do indivíduo. No caso dos desportistas, uma respiração errada pode ser a diferença entre o podium e o anonimato. No caso dos estudantes, pode ser a diferença entre ser aprovado ou reprovado. No caso dos profissionais, pode ser a diferença entre a criatividade e agilidade mental que conduzem ao sucesso ou, na falta dessas faculdades, o fracasso. Respirar bem pode ser a diferença entre uma boa e uma má qualidade de vida.

4 – Para quais finalidades podemos usar as técnicas de respiração?

As técnicas de respiração podem ser aplicadas para uma infinidade de resultados. A hiperventilação, através de uma insuflação de mais oxigênio no cérebro produz um estado de euforia, sempre bem-vinda no ambiente familiar, afetivo ou de trabalho, principalmente nos momentos em que precisamos de um “gás” e não sabemos de onde tirá-lo. Ele está aí mesmo à nossa disposição, mediante uma respiração mais eficiente.

Outra ocorrência no aprendizado das técnicas de respiração é a administração do stress. Aquele recurso que a sabedoria popular recomenda: respire dez vezes antes de tomar uma decisão importante ou antes de perder as estribeiras.

Mas o mais interessante é que por meio das técnicas de respiração nós conseguimos romper a barreira do inconsciente. Os animais em geral só respiram pelo neurovegetativo, ou seja, só dispõem da respiração automática. O ser humano tem a capacidade de controlar essa função e passá-la ao domínio do consciente, parando de respirar, voltando a fazê-lo, inspirando mais profundamente ou menos, alterando seu ritmo e os músculos nele envolvidos. Assim sendo, as técnicas respiratórias são o mais rápido e eficiente recurso para romper a fronteira entre consciente e inconsciente, o que permite um fácil acesso ao autoconhecimento.

5 – O senhor poderia me dar exemplos de algumas técnicas de respiração?

Uma técnica muito fácil é descontrair o abdomen e inspirar de forma plena e gostosa. Retenha a respiração por alguns instante, enquanto isso for agradável. Depois expire retraindo o abdomen para expelir o máximo possível do ar. Uma única vez que você o faça já produz resultados que qualquer um pode sentir. Contudo, o ideal é repetir algumas vezes.

Outra técnica excelente é respirar aceleradamente pelas narinas até sentir uma leve tonteira. É claro que não deve praticar esta técnica enquanto está dirigindo qualquer tipo de veículo ou operando máquinas, mas ela é tremendamente eficiente para captar aquele “gás” a que nos referimos antes.